nº 031
07 de Agosto de 2007

Eclipse Parcial do Sol

11 de setembro de 2007

 
Irineu G. Varella & Priscila D. C. F. de Oliveira
 

Os eclipses solares ocorrem toda vez que a Lua se interpõe entre a Terra e o Sol. Estando, portanto, em conjunção com o Sol, os eclipses solares só podem ter lugar quando a Lua passa pela fase de Lua Nova.
Fig. 1 - Eclipse anular do Sol: o vértice do cone de sombra da Lua não atinge a Terra.

Os eclipses solares só podem ser observados nas regiões da Terra onde os cones de sombra (umbra) ou de penumbra da Lua interceptarem a superfície terrestre. Os observadores localizados nas regiões onde a sombra da Lua atinge a Terra verão um eclipse total ou anular. Nos locais onde apenas o cone de penumbra atinge a Terra, o eclipse é parcial. Quando ocorre um eclipse anular ou total, a maioria das localidades da Terra vêem o eclipse de forma parcial, porque a área da superfície terrestre atingida pela penumbra é muito grande. Apenas uma pequena porção da superfície é atingida pelo cone de sombra da Lua. Há, no entanto, situações como a de 11 de setembro, em que o cone de sombra da Lua não atinge a superfície terrestre. Apenas o de penumbra. Nessas circunstâncias o eclipse é, em sua natureza, parcial.

 
Fig. 2 - Eclipse parcial do Sol: o cone de sombra da Lua não atinge a Terra.
 
 
 
Fig. 3 - Aspectos de um eclipse parcial do Sol
 
 
VISIBILIDADE DO ECLIPSE
 

A figura abaixo, confeccionada pelo astrônomo norte-americano Fred Espenak, da NASA, ilustra a evolução do fenômeno na superfície terrestre. O cone de penumbra da Lua interceptará a América do Sul, o Oceano Atlântico e a Antártida. No Brasil, o fenômeno não poderá ser observado nas regiões norte e nordeste. Na América do Sul poderá ser visto na Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Bolívia e Perú (exceto na região norte), além do Brasil.
Fig. 4 - Regiões de visibilidade do eclipse parcial do Sol de 11 de setembro de 2007 - Fred Espenak (NASA).

 
 
EFEMÉRIDES PARA O ECLIPSE
 
Nas tabelas 1 e 2, estão relacionados os dados necessários à observação do eclipse em 45 cidades brasileiras e em 10 cidades sul-americanas. Nas colunas encontram-se os horários do nascer do Sol (N), os horários do início, do máximo e do fim do eclipse, a duração em horas e minutos (Dur), assim como a altura (h) e o azimute (Az) do Sol nos instantes considerados. A grandeza (g) representa a fração do diâmetro solar encoberto pela Lua e o obscurecimento (O) representa a porcentagem do disco solar encoberto pela Lua.
 
 
TABELA 1 - EFEMÉRIDES PARA O BRASIL
 

 LOCAIS
 
N
Início
h
Az
Máximo
h
Az
Fim
h
Az
Dur
g
O

Aguas de Lindóia - SP
 
06:07
07:38
20º
76º
08:33
32º
69º
09:33
44º
58º
01:55
0,268
16%
Baurú - SP
 
06:17
07:35
17º
78º
08:31
29º
71º
09:32
42º
61º
01:57
0,286
17%
Belo Horizonte - MG
05:56
07:41
24º
75º
08:30
35º
69º
09:24
46º
60º
01:43
0,200
10%
Blumenau - SC
06:19
07:39
17º
76º
08:40
30º
67º
09:47
43º
54º
02:08
0,357
24%
Brasília - DF
06:10
07:36
20º
79º
08:19
30º
75º
09:05
40º
70º
01:29
0,161
07%
                                                     
Brotas - SP
06:17
07:35
17º
78º
08:31
29º
71º
09:31
42º
61º
01:56
0,285
17%
Campinas - SP
06:09
07:38
19º
76º
08:34
32º
69º
09:35
4
58º
01:57
0,279
17%
Campo Grande - MS
05:40
06:30
11º
81º
07:25
23º
75º
08:26
37º
67º
01:56
0,313
20%
Corumbá - MS
05:50
06:28
08º
82º
07:19
20º
78º
08:15
33º
71º
01:47
0,280
17%
Cuiabá - MT
05:43
06:29
10º
82º
07:14
21º
79º
08:03
32º
74º
01:34
0,207
11%
                                                     
Curitiba - PR
06:19
07:37
17º
76º
08:37
3
68º
09:42
43º
56º
02:05
0,337
22%
Dourados - MS
05:40
06:31
11º
80º
07:26
23º
74º
08:28
37º
66º
01:57
0,323
21%
Feira de Santana - BA
05:33
08:09
37º
75º
08:19
39º
74º
08:30
42º
72º
00:21
0,007
0,1%
Florianópolis - SC
06:17
07:40
17º
75º
08:42
30º
66º
09:50
43º
52º
02:10
0,363
24%
Franca - SP
06:10
07:36
19º
77º
08:28
31º
71º
09:25
43º
62º
01:49
0,242
14%
                                                     
Goiânia - GO
06:16
07:34
18º
79º
08:20
28º
75º
09:09
40º
69º
01:35
0,187
09%
Itajubá - MG
06:03
07:40
21º
75º
08:34
33º
68º
09:34
45º
57º
01:54
0,257
15%
Itu - SP
06:10
07:38
19º
76º
08:34
31º
69º
09:36
44º
58º
01:58
0,286
17%
Jacareí - SP
06:05
07:39
21º
7
08:35
33º
6
09:37
45º
56º
01:58
0,275
16%
Joinville - SC
06:18
07:39
17º
76º
08:39
30º
67º
09:45
43º
54º
02:06
0,346
23%
                                                     
Jundiaí - SP
06:09
07:38
20º
76º
08:34
32º
68º
09:36
44º
57º
01:58
0,282
17%
Limeira - SP
06:11
07:37
19º
76º
08:33
31º
69º
09:33
44º
59º
01:56
0,276
16%
Londrina - PR
06:26
07:34
15º
78º
08:31
27º
71º
09:34
41º
61º
02:00
0,318
20%
Lorena - SP
06:01
07:40
22º
75º
08:35
34º
68º
09:35
46º
56º
01:55
0,258
15%
Maringá - PR
06:29
07:33
14º
79º
08:31
27º
72º
09:34
40º
62º
02:01
0,326
21%
 
Mogi Guaçu - SP
06:09
07:38
20º
76º
08:33
3
69º
09:33
44º
59º
01:55
0,269
16%
Palmas - TO
06:10
07:44
22º
81º
08:09
28º
79º
08:35
35º
77º
00:51
0,051
1,4%
Petrópolis - RJ
05:54
07:43
24º
74º
08:36
36º
66º
09:34
47º
55º
01:51
0,235
13%
Pindamonhangaba - SP
06:03
07:40
21º
75º
08:35
33º
68º
09:35
46º
56º
01:55
0,264
15%
Piracicaba - SP
06:12
07:37
19º
77º
08:33
31º
69º
09:34
44º
59º
01:57
0,280
17%
                                                     
Porto Acre - AC
05:27
05:32
01º
85º
06:02
08º
84º
06:33
16º
83º
01:01
0,102
04%
Porto Alegre - RS
06:29
07:41
15º
76º
08:45
28º
66º
09:56
41º
52º
02:15
0,418
30%
Porto Velho - RO
06:12
06:34
05º
85º
07:01
11º
84º
07:30
18º
82º
00:56
0,080
03%
Presidente Prudente - SP
06:26
07:33
15º
79º
08:28
27º
72º
09:30
40º
63º
01:57
0,300
19%
Ribeirão Preto - SP
06:12
07:36
19º
77º
08:29
31º
71º
09:28
43º
61º
01:52
0,257
15%
                                                     
Rio Branco - AC
05:28
05:31
01º
85º
06:02
08º
84º
06:35
1
82º
01:04
0,111
04%
Rio de Janeiro - RJ
05:54
07:43
24º
74º
08:37
36º
66º
09:36
47º
54º
01:53
0,241
14%
Salvador - BA
05:32
08:07
36º
74º
08:21
40º
73º
08:36
43º
71º
00:29
0,015
0,2%
Santa Maria - RS
06:39
07:38
12º
78º
08:42
25º
68º
09:52
39º
55º
02:14
0,432
31%
Santos - SP
06:07
07:39
20º
75º
08:36
32º
67º
09:39
45º
56º
01:59
0,288
18%
                                                     
Sorocaba - SP
06:11
07:38
19º
76º
08:34
31º
69º
09:37
44º
57º
01:59
0,292
18%
S. José do Rio Preto - SP
06:18
07:34
17º
78º
08:27
29º
72º
09:26
42º
63º
01:52
0,263
15%
S. José dos Campos - SP
06:05
07:39
21º
75º
08:35
3
68º
09:36
45º
56º
01:57
0,272
16%
São Paulo - SP
06:08
07:39
20º
76º
08:35
32º
68º
09:37
45º
57º
01:58
0,285
17%
Vitória - ES
05:41
07:48
28º
73º
08:34
39º
66º
09:25
49º
56º
01:37
0,168
08%

 
 
TABELA 2 - EFEMÉRIDES PARA A AMÉRICA DO SUL
 

 LOCAIS
 
N
Início
h
Az
Máximo
h
Az
Fim
h
Az
Dur
g
O

Asunción - PAR
 
05:53
06:31
08º
81º
07:30
21º
74º
08:36
35º
64º
02:05
0,389
27%
Brasília - BRA
 
06:10
07:36
20º
79º
08:19
30º
75º
09:05
40º
70º
01:29
0,161
07%
Buenos Aires - ARG
06:59
07:42
08º
79º
08:49
21º
68º
10:02
34º
54º
02:20
0,522
41%
La Paz - BOL
06:31
------
---
---
07:11
09º
83º
08:01
20º
79º
01:30
0,256
15%
Lima - PER
06:05
------
---
---
06:05
00º
86º
06:41
08º
84º
00:36
0,151
07%
 
Montevideo - URU
06:50
07:44
10º
77º
08:51
23º
66º
10:05
36º
51º
02:21
0,512
40%
Rosario - ARG
07:07
07:38
06º
81º
08:42
19º
72º
09:53
33º
59º
02:15
0,503
39%
Santiago - CHI
06:48
------
---
---
07:40
10º
78º
08:48
2
67º
02:00
0,550
44%
Stanley - FAL (UK)
06:06
07:14
10º
70º
08:25
19º
55º
09:42
28º
36º
02:28
0,653
56%
Ushuaia - ARG
07:51
08:16
03º
78º
09:25
12º
63º
10:39
21º
46º
02:23
0,710
63%

 
 
OBSERVANDO O ECLIPSE
 
NÃO OBSERVE DIRETAMENTE O SOL COM INSTRUMENTOS ÓPTICOS.
CEGUEIRA INSTANTÂNEA SERÁ O RESULTADO MAIS PROVÁVEL !

A observação do eclipse implica na observação do Sol. Portanto, todo o cuidado é pouco e a advertência anterior é fundamental e deve ser rigorosamente obedecida. A utilização de filtros deve ser feita, também, com bastante cuidado e critério, evitando-se o uso de materiais e de procedimentos cuja segurança não tenhamos certeza. Não há porque evitar a observação do eclipse e vê-lo pela televisão ou pela Internet. A observação de fenômenos astronômicos, com os devidos cuidados, deve sempre ser feita "ao vivo e em cores"! Aqui vão algumas "dicas" para que você observe o eclipse com segurança:


 
"Filtros" e "Métodos" que não devem ser utilizados
 

Não são seguros os seguintes "filtros" e não devem ser utilizados os "métodos" de observação adiante descritos, pois não eliminam o UV ( ultra-violeta ) e o IV ( infra-vermelho) prejudiciais à visão:

1. "Sanduiches" de pedaços de filmes preto e branco velados ou "sanduiches" de pedaços de filmes coloridos velados ( este último "método" é ainda pior );

2. Vidros esfumaçados, vidros coloridos, pedaços de garrafas escuras;

3. Olhar para o reflexo do Sol em uma bacia com água;

4. Óculos escuros, lentes polaróides ou óculos que "filtram" UV, mesmo que, de acordo com o fabricante, a redução de UV seja grande;

5. Papéis celofanes de quaisquer cores em folhas simples ou associados em "sanduiches";

6. Pedaços escuros de radiografias ( chapas de Raios-X );

7. Não utilize filtros que se acoplem à ocular do seu telescópio, mesmo que tenham vindo junto com o telescópio e indicados pelo fabricante. O calor gerado durante a exposição ao Sol pode romper o filtro expondo, repentinamente, a sua vista aos raios solares;

8. Não "adapte" um vidro para máscara de soldador ( mesmo o de nº 14 ) à ocular ou à objetiva do telescópio.

 

 
Como acompanhar o fenômeno com segurança
 

Para a observação do eclipse e do disco solar, sem o uso de equipamento óptico, é necessário a utilização de um filtro. Um filtro muito eficiente, de baixo custo e de fácil aquisição é o vidro para máscara de soldador nº 14. Os vidros para máscara de soldador nº 14 são comercializados em placas retangulares, na cor preta (verde escuro), medindo 10,8 cm X 5,0 cm e com espessura de 3 mm. Podem ser adquiridos em lojas de ferragens.

Colocando-o diante dos olhos, é possível atenuar bastante o brilho solar e filtrar as radiações nocivas aos olhos evitando prejuízos à visão. A observação deve ser feita por breves períodos e seguidos de períodos de "descanso". Assim, um bom procedimento é observar o Sol através do vidro por uns 5 a 10 segundos e depois "descansar" por uns 10 ou 20 segundos. Quando se observa o Sol com esse filtro notaremos que a imagem solar tornar-se-á ligeiramente esverdeada ( fig.5).

 
Fig. 5 - Vidro para máscara de soldador nº 14, adequado para a observação visual do Sol.
 
Para mais informações sobre o vidro para máscara de soldador, consulte o texto "Transmitâncias e Densidades - Lentes e Placas Filtrantes" , na série Astronomia e Astrofísica, nº 024.
 

 
Como acompanhar o fenômeno utilizando um telescópio
 
O leitor que disponha de uma luneta ou de um telescópio, poderá utilizá-lo no acompanhamento do fenômeno servindo-se do método de projeção da imagem como ilustrado na figura abaixo. O observador deve providenciar uma tela branca para projeção ( cartolina ou papel sulfite ) e um anteparo para produzir sombra na tela de projeção aumentando o contraste da imagem.
 
Fig.08 - Observação do Sol por projeção.
Fig. 6 - Observando o Sol pelo método da projeção.
 

O método de projeção, além de seguro, possui a vantagem de permitir a observação do disco solar simultaneamente por várias pessoas. O método poderá depois ser utilizado por aqueles que desejarem acompanhar o Sol e fazer os registros diários das manchas solares. Orientações sobre como proceder na prática deste importante trabalho de observação astronômica serão objeto de futuras publicações na série Astronomia & Astrofísica.

Existem, também, filtros que podem ser acoplados à objetiva de telescópios, permitindo a observação direta através da ocular do equipamento. Esses filtros, denominados MYLAR, são constituidos por um filme plástico ( ou um celulóide ) sobre o qual está depositada uma camada metálica que reflete grande parte da luz solar e produz forte absorção deixando que apenas uma pequena porcentagem da luz solar atinja a ocular.

 

 
INFORMAÇÕES TÉCNICAS SOBRE O ECLIPSE
 
O eclipse parcial do Sol de 11 de setembro de 2007 é a repetição, após um período de Saros, do eclipse parcial ocorrido em 31 de agosto de 1989. Ambos fazem parte da Série de Saros de Eclipses Solares nº 154, que se desenvolve em torno do nodo descendente da órbita lunar e que teve início recentemente com o eclipse parcial ocorrido em 19 de julho de 1917 e que se estenderá por 1.262 anos, encerrando-se com o eclipse parcial de 25 de agosto de 3179. O presente eclipse é o 6º da série composta por 71 eclipses ( incluíndo os parciais, os anulares, os totais e os híbridos ) que se deslocarão, ao longo dos séculos, do hemisfério sul para o hemisfério norte da Terra.
 
TABELA 3 - COORDENADAS E GRANDEZAS GEOMÉTRICAS NO MÁXIMO DO ECLIPSE
 
1 Ascensão Reta do Sol
11h 17m 31,462s
2 Declinação do Sol
+ 04° 34' 05,39"
3 Ascensão Reta da Lua
11h 17m 31,462s
4 Declinação da Lua
+ 03° 23' 38,66"
5 Diâmetro aparente do Sol
31' 46,36"
6 Diâmetro aparente da Lua
30' 00,40"
 

 
Imprimir  
 
Produção, autores e contatos

Autor: Irineu Gomes Varella

Astrônomo. Diretor do Planetário e Escola
Municipal de Astrofísica de São Paulo,
no período de 1980 a 2002.

Autora: Priscila D. C. F. de Oliveira

Coordenadora do Centro de Documentação
Técnica e Científica em Astronomia do
Planetário e E. M. de Astrofísica de S Paulo.

Ultima atualização: 08.AGO.2007
Web Designer: Walter Torres Varella - waltervarella@ig.com.br

Para receber informações sobre eventos astronômicos e uma mensagem eletrônica a cada Circular Astronômica editada,
participe do grupo informativo URANOMETRIA NOVA do Yahoo! Grupos.