Histórias
da Astronomia
Produção: Irineu G. Varella & Priscila D.C.F. de Oliveira
Nº 018 - 30 de Agosto de 2005

 
Prof. ARISTÓTELES ORSINI
Irineu Gomes Varella *
 

Aristóteles Orsini nasceu em 30 de agosto de 1910, na cidade de Avaré-SP. Filho de Henrique Orsini e Maria Padilha Orsini, veio para a capital em 1922 e, em 1923, matriculou-se no Grupo Escolar de Santana, dando seqüência aos estudos iniciados no Grupo Escolar de Tietê.

Tendo vindo do interior para a Capital, o jovem estudante esforçou-se bastante para acompanhar os estudos e, como sua professora no curso primário, a Profª. Anésia Sincorá, era bastante exigente, seu esforço fez com que logo se destacasse nos estudos e desde os primeiros meses ocupou ora o primeiro, ora o segundo lugar na classificação que semanalmente era colocada no quadro-negro.

O Prof. Orsini atribuia boa parte das vitórias em seus estudos aos professores: Profª Anésia Sincorá, no curso primário, ao Prof. Edgar Vieira, professor de geometria do curso secundário, ao Prof. André Dreifus, professor de Biologia da Faculdade de Medicina da USP e ainda, ao Prof. Mario Schemberg, professor de Física da USP.

Fez o curso secundário no Ginásio do Estado da Capital e formou-se em Medicina, em 1933, pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Em 1932, quando ainda cursava o 5° ano, alistou-se no Serviço Médico da Revolução e serviu no setor de Casa Branca, na Mogiana, no Estado de São Paulo.

Defendeu tese de Doutoramento em 1934, com o trabalho intitulado "Fermentos amilolíticos encontrados em sementes de leguminosas", e nesse mesmo ano foi nomeado Assistente da Cadeira de Física, da Faculdade de Farmácia e Odontologia da USP.

No ano seguinte (1935) foi aprovado em concurso para Livre Docente com a tese "Algumas constantes físicas de tinturas oficinais". Freqüentou os cursos de Física e Matemática na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da USP, de 1943 a 1946 e, de 1936 a 1947, foi Assistente e depois Professor Interino da cadeira de Física Biológica da Escola Paulista de Medicina tendo sido chefe do Serviço de Radiologia da mesma Escola.

Em 1947 foi aprovado em concurso para Professor Catedrático de Física da Faculdade de Farmácia e Odontologia da USP com a tese: "Isótopos Radioativos". Foi Professor Emérito da Universidade de São Paulo. Recebeu diversas comendas e medalhas honoríficas. Uma das honrarias de que mais se orgulhava era a de ter sido declarado "Cidadão Tieteense"

Autor de dezenas de trabalhos científicos em Medicina, Biologia, Física e Astronomia entre os quais destacam-se: "O emprego dos raios X no estudo dos expectorantes" e "Física Estelar", publicado no Anuário Astronômico da Associação de Amadores de Astronomia de São Paulo para 1954. Fez centenas de palestras sobre Medicina, Biologia, Física Nuclear, Astronomia, etc. e ministrou algumas dezenas de cursos de Astronomia, Física e História de Astronomia, na Escola Municipal de Astrofísica (EMA) do Planetário Municipal do Ibirapuera.

Além de médico, o Prof. Orsini foi filatelista, numismata e astrônomo amador. Em 1949, na companhia do Prof. Abrahão de Moraes, de Décio Fernandes de Vasconcellos, de Abraham Szulc, entre outros, fundou a Associação de Amadores de Astronomia de São Paulo (AAA) e de 1957 a 1980 foi Diretor do Planetário do Ibirapuera e da Escola Municipal de Astrofísica. Foi, ainda, Diretor-Presidente do Museu de Ciências, situado no Pavilhão Lucas Nogueira Garcez (hoje OCA), no Parque Ibirapuera.

Em 17 de maio de 1954 foi eleito presidente da AAA, em substituição a Décio Fernandes de Vasconcellos. Na qualidade de presidente da AAA foi convidado pela Prefeitura de São Paulo para integrar a Comissão do Planetário. No dia 26 de janeiro de 1957 fez a exposição inaugural do Planetário do Ibirapuera. Durante cinco anos cooperou com a Prefeitura, como Diretor voluntário do Planetário. Em 1962, já tinha a sua equipe de trabalho organizada e foi com surpresa que viu, no Diário Oficial do Município, sua nomeação oficial para dirigir aquele instituto científico.

Um fato pitoresco de sua vida se prende justamente à sua grande paixão pela Astronomia. Como Diretor da Faculdade de Farmácia e Odontologia da USP, conheceu, em 1954, no Conselho Universitário, o então Diretor do Instituto Astronômico e Geofísico, o Dr. Alipio Leme de Oliveira que o convidou para ser o Diretor, em sua substituição. O Dr. Alípio, que era sogro do Governador Lucas Nogueira Garcez, ia se aposentar naquele ano. O Prof. Orsini, que durante vários anos alimentara o sonho de um dia freqüentar o Observatório, recebeu com grande surpresa que aquele convite.

Depois de vários dias de reflexão, declinou o amável convite alegando que não tinha uma formação de astrônomo profissional, indicando, em seu lugar, o Prof. Abrahão de Moraes. Depois de várias propostas e contra-propostas, o Prof. Abrahão aceitou o convite e foi um dos grandes diretores do Observatório, no pouco tempo que teve de vida. O Prof. Orsini foi casado com a sra. Rosalina Guarim Orsini e teve um casal de filhos. Faleceu em São Paulo, no dia 27 de julho de 1998, há pouco mais de um mês do seu 88º aniversário.

 
UM DEPOIMENTO PESSOAL
 

Trabalhei durante 12 anos com o Prof. Orsini, no período de 1968 a 1980, quando, em função de sua aposentadoria, tive a honra de ter sido por ele indicado e sucedê-lo na Direção do Planetário e da Escola Municipal de Astrofísica. Fui convidado pelo Prof. Orsini, em janeiro de 1968, para integrar, como colaborador, a equipe de observações astronômicas do Planetário, cuja função era a realização de observações astronômicas para o público que freqüentava as apresentações do Planetário, realizadas aos sábados, domingos e feriados.

Fazendo parte da equipe do Planetário, tive o imenso prazer de assistir às diversas aulas que o Prof. Orsini ministrava internamente para os elementos que trabalhavam no Planetário. Homem de vasta cultura, o Prof. Orsini ministrava aulas de Biologia, Física, Matemática, História, Astronomia, Grego, Latim, etc, com o objetivo de formar uma equipe que estivesse a altura dos trabalhos técnicos, científicos e culturais e dos objetivos de uma instituição destinada à divulgação, ao ensino e à pesquisa.

Com suas magníficas aulas, ele ampliava os horizontes de todos os membros da equipe que iam adquirindo preparo para a narração das apresentações do Planetário que abordavam temas variados - desde históricos até a origem da vida - e todos estávamos, também, nos preparando para ministrar os cursos da Escola Municipal de Astrofísica. Pode-se, com bastante segurança, afirmar que o Prof. Orsini, além de dirigir a instituição, tomou para si a tarefa gigantesca de preparar, em quase todos os sentidos, a equipe técnica que ele necessitava para o Planetário.

Aqueles que, como eu, puderam com ele conviver e receber seus valiosos ensinamentos, podem se considerar privilegiados pela formação científica, cultural, ética e moral recebida.

 
Fig. 2 - Comemoração do 70º aniversário do Prof. Orsini (30 de agosto de 1980) e festividade da transmissão do cargo de Diretor do Planetário de São Paulo. À esquerda, Irineu Gomes Varella, à direita o Prof. Aristóteles Orsini e ao seu lado o Prof. Acácio Riberi. Arquivo do autor.
 

Imprimir  
 
Produção, autores e contatos

Irineu Gomes Varella

Astrônomo. Diretor do Planetário do Ibirapuera
e da Escola Municipal de Astrofísica
de São Paulo, no período de 1980 a 2002.

Priscila D. C. F. de Oliveira

Coordenadora do Centro de Documentação Técnica e Científica em Astronomia do Planetário e
Escola Municipal de Astrofísica de S Paulo.

Web Designer: Irineu Gomes Varella
Ultima revisão: 19 de Novembro de 2005

Para receber informações sobre eventos astronômicos e uma mensagem eletrônica a cada Circular Astronômica editada,
participe do grupo informativo URANOMETRIA NOVA do Yahoo! Grupos.