Histórias 
da Astronomia
Produção: Irineu G. Varella & Priscila D.C.F. de Oliveira
Nº 029 - 15 de Julho de 2009    

 

O PROJETO APOLLO E OS 40 ANOS DA CONQUISTA DA LUA
 
Priscila Di Cianni Ferraz de Oliveira *
 

Há 40 anos, o homem pisou pela primeira vez em solo extraterrestre – a Lua. Os norte-americanos Neil Alden Armstrong, Edwin Eugene "Buzz" Aldrin Jr. e Michael Collins protagonizaram a maior e a mais fascinante viagem de exploração desde a época das grandes navegações. Aquilo que ficou conhecido como “corrida espacial” envolvia as duas grandes potências do mundo àquela época: a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e os Estados Unidos da América.

A URSS deu o primeiro passo em 04 de outubro de 1957, quando lançou o satélite artificial Sputnik I. Em 12 de abril de 1961 enviou o primeiro homem ao espaço - o cosmonauta Yuri Gagarin. Em 25 de maio de 1961, o presidente norte-americano John Fitzgerald Kennedy decidiu que os EUA não ficariam para trás e lançou o ambicioso projeto de conquista da Lua - O Projeto Apollo - constituído por várias missões espaciais que ocorreram durante o período de 1961 até 1972.

 
Fig.01 - Pres. J.F.Kennedy discursando em 25.05.1961.
Fig.02 - Apollo-Saturno V na área de lançamento.
 

A primeira missão Apollo incendiou-se em solo, durante uma simulação, matando os astronautas Virgil Ivan Grisson, Edward Higgins White Second e Roger Bruce Chafee. Mais tarde, como uma homenagem, os nomes invertidos desses astronautas foram dados às estrelas que serviam para calibrar a direção de vôo. Dnoces (iota UMa), Navi (gama Cas) e Regor (gama Vel). Esses nomes não são reconhecidos pela União Astronômica Internacional (IAU).

Outras Apollo’s ( 2 até 6 ) não foram tripuladas servindo como “laboratório” para as futuras viagens tripuladas. A primeira nave tripulada da série foi a Apollo 7. Orbitou a Terra com a missão de testar os sistemas de suporte à vida, de controle e propulsão da nave. Foi a primeira a utilizar o foguete Saturno, que depois seria usado nas demais missões Apollo.

 
A primeira missão tripulada que se aproximou da Lua seguiu na Apollo 8, mas seu objetivo era efetuar uma série de fotografias do terreno lunar, o que foi conseguido na noite de natal de 1968. A nave circundou o a Lua enviando para a Terra várias fotos do seu solo. A Apollo 9 consistiu em uma missão para testar, ainda em órbita terrestre, os equipamentos para pousar na Lua, especialmente o módulo lunar. Foi lançada completa com o módulo de comando, o módulo de serviço e o módulo lunar.

O último teste foi feito pela Apollo 10 que sobrevoou a superfície da Lua testando o módulo lunar. Missão de extrema importância que forneceu aos cientistas, aos astronautas e aos demais profissionais envolvidos no projeto, a tranqüilidade necessária para garantir o sucesso da próxima missão: a Apollo 11.
 
Fig.03 - A missão Apollo 8.
Fig.04 - A Terra vista pela missão Apollo 10.
 

O módulo de comando, denominado Columbia, era o local onde os astronautas fariam a viagem de ida e volta à Terra. Sentavam-se lado a lado em poltronas individuais, tendo à frente deles e nas laterais os instrumentos de comando. Embaixo dos assentos ficavam as camas. No Columbia também ficavam os armários com alimentos desidratados e um reservado para as necessidades.

Os dois astronautas permaneceram no interior do módulo lunar por cerca de 6 horas. No dia 20 de julho de 1969, às 23:56 (hora de Brasília), Neil Armstrong dá o primeiro passo em solo lunar. Aldrin desce do módulo aos 16 minutos. Armstrong monta a antena que permitiu a nós acompanharmos o trabalho deles pela televisão. Em seguida, finca a bandeira norte-americana no solo da Lua.

 
Os astronautas iniciam os trabalhos enquanto seu companheiro Collins permanece em órbita. Coletam amostras de rochas lunares, instalam sismógrafos, enviam um raio laser à Terra para medir com precisão a distância da Lua à Terra. Às 02:07 estão de volta ao módulo lunar e o comandante fecha a escotilha. O astronauta Collins está à espera deles no módulo de comando. Eles sobem às 02:20 deixando para trás os equipamentos científicos, sacos vazios, uma placa com a assinatura de Richard Nixon e mensagens microfilmadas de chefes de Estado e o registro da passagem humana pela Lua nas pegadas dos primeiros homens que lá estiveram.

Em 21 de julho, vinte e uma horas depois do pouso, Armstrong e Aldrin decolam da Lua e se acoplam ao resto do conjunto, abandonando o Águia no espaço. Pequenos foguetes foram usados para evitar que a nave assasse no seu lado voltado para o Sol e congelasse no outro. Eles faziam com que a nave girasse sobre seu eixo a cada vinte minutos, distribuindo o calor.
 
Fig.05 - Os astronautas Armstrong, Collins e Aldrin.
Fig.06 - Impressão deixada no solo lunar por Armstrong.
 
No dia 24 de julho, a Apollo 11 retornou à Terra pousando no Oceano Pacífico às 12:51. Quando chegaram, os astronautas ficaram em quarentena, sendo minuciosamente estudados por médicos, biólogos e psicólogos em busca de contaminação e de outros efeitos que a viagem pudesse ter causado. O Projeto Apollo teve no total onze missões, sendo que em seis delas astronautas pisaram na Lua e fizeram experimentos científicos. Das missões programadas para pousar na Lua, apenas uma não conseguiu. Um curto-circuito seguido de uma explosão e um vazamento nos tanques de oxigênio obrigou os astronautas da Apollo 13 a abortarem a missão.
 
Muitos dos sonhos daquela época como os de que a conquista do espaço estava garantida e logo teríamos condições de montar bases na Lua, viajar para os outros planetas do Sistema Solar etc, não se concretizaram, mas as viagens espaciais feitas por sondas é hoje uma realidade. Com o Projeto Apollo, a medicina se beneficiou, por exemplo, com equipamentos para diagnósticos à distância. A informática, com a melhoria dos computadores e miniaturização dos componentes. Tecidos especiais foram desenvolvidos, e inúmeros outros avanços foram conseguidos, trazendo melhorias em vários setores da vida na Terra.
 
Fig.07 - Astronauta descendo em solo lunar.
Fig.08 - Bandeira norte-americana em solo lunar.
 

  Fechar
       
Produção, autores e contatos

Irineu Gomes Varella

Astrônomo. Diretor do Planetário do Ibirapuera
e da Escola Municipal de Astrofísica
de São Paulo, no período de 1980 a 2002.

* Priscila D. C. F. de Oliveira

Coordenadora do Centro de Documentação Técnica e Científica em Astronomia do Planetário e
Escola Municipal de Astrofísica de S Paulo.

Web Designer: Irineu Gomes Varella
Ultima revisão: 15 de Julho de 2009

Para receber informações sobre eventos astronômicos e uma mensagem eletrônica a cada Circular Astronômica editada,
participe do grupo informativo URANOMETRIA NOVA do Yahoo! Grupos.